Leia mais: http://www.dedodeouro.net/2007/12/colocar-o-titulo-do-post-antes-do-nome-do-blog.html#ixzz1YteLcrA5

Páginas

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina

sábado, 24 de dezembro de 2011

Que 2012 seja assim!!!

E os anos seguintes também...



Feliz e próspero 2012!!!


 border=
Na poesia de Cora Coralina, meu carinhoso presentinho pra vocês, leitoras e leitores do EntreTextos...

Enfeite a árvore de sua vida
com guirlandas de gratidão!
Coloque no coração laços de cetim rosa,
amarelo, azul, carmim,
Decore seu olhar com luzes brilhantes
estendendo as cores em seu semblante

Em sua lista de presentes
em cada caixinha embrulhe
um pedacinho de amor,
carinho,
ternura,
reconciliação,
perdão!
               
Tem presente de montão
no estoque do nosso coração
e não custa um tostão!
A hora é agora!
Enfeite seu interior!
Sejas diferente!
Sejas reluzente!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Multiculturalismo na educação infantil?!

Há mais ou menos duas semanas participei de uma palestra sobre multiculturalismo, currículo, proposta pedagógica e educação. E a professora doutora propunha a discussão das bases para uma proposta de matriz filosófica para o ensino fundamental e a educação infantil ancorada num currículo para a diversidade, a partir dos conhecimentos científicos construídos pela humanidade. Era uma discussão fundamentada no multiculturalismo. Não sou nada fã das leituras e proposições multiculturais pós-modernas... E, terminada a palestra, escrevi este textinho que está aí embaixo...

Currículo para a diversidade implica numa perspectiva de organização do trabalho a partir de conhecimentos socialmente referenciados, diferentemente da exposição feita hoje, na minha opinião. Imagino a imensa dificuldade de realização concreta dessa perspectiva, pois contempla, essencialmente, uma outra concepção e função de escola em nossa sociedade. Penso que, na educação infantil,  as práticas sociais e culturais é que deveriam ser o "mote" para a prática pedagógica nas escolas (que até contemplariam um currículo para a diversidade). Os conhecimentos científicos, artísticos e filosóficos  e seus modos de produção (elementos fundantes que constituem os próprios conhecimentos) estariam "a serviço" de tais práticas culturais e sociais, mas não seriam os eixos de sistematização nem da matriz filosófica nem das orientações curriculares, por consequência.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Que maravilha!!!

Ópera no meio da gente... Adoraria ter estado lá...





terça-feira, 29 de novembro de 2011

Vida...

"Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."
Fernando Pessoa


domingo, 27 de novembro de 2011

O governo federal e os vendedores de testes de avaliação da educação infantil

Aqui no EntreTextos eu já havia mostrado que o "programa de avaliação", já instituído no município do Rio de Janeiro, que o governo federal pretende implantar em todas as redes brasileiras é vendido em site próprio e pela Amazon. No blog tem várias postagens sobre esse assunto...

Com o convite abaixo, a Secretaria de Assuntos Estratégicos mostra a sua relação com esses vendedores do questionário de avaliação das crianças da educação infantil...

Vamos, pessoal, vamos assinar a petição pública do Mieib contra essa política pública... Clique aqui.

Jane Squires, uma das autoras do ASQ-3 (instrumento de avaliação do desenvolvimento infantil) está vindo ao Brasil, (Rio de Janeiro), no início de dezembro. A convidamos para vir à Brasília no dia 05 de dezembro, segunda-feira, para fazer uma apresentação sobre o referido instrumento.

O ASQ foi desenvolvido nos Estados Unidos por uma equipe multidisciplinar em 1997 e, desde então, vem sendo utilizado em diversos países. É um instrumento de triagem que classifica as crianças em três categorias: i) necessita uma avaliação em profundidade, ii) monitoramento e estímulos adicionais são recomendados, e iii) desenvolvimento dentro do esperado/ programado. A metodologia busca investigar as cinco dimensões do desenvolvimento infantil: comunicação, motora ampla, motora fina, solução de problemas, pessoal/social. É um instrumento de baixo custo e tempo de aplicação reduzido (20 minutos), além de grande flexibilidade operacional, (pode ser aplicado por pais ou cuidadores com a 4ª série completa). Apresenta boa cobertura de todas as idades da Primeira Infância (de 1 mês a 5 anos e meio), algo que é muito difícil contar com escalas para avaliar a criança até os 3 anos de idade, e é composto de 21 escalas: 2, 4, 6, 8, 9, 10, 12, 14, 16, 18, 20, 24, 27, 30, 33, 36, 42, 48, 54, 60, 66 meses. Cada escala é formada por 6 questões/itens sobre cada uma das dimensões. Caso desejem obter maiores informações sobre este instrumento, encaminhamos o seguinte link:
http://www.brookespublishing.com/store/books/squires-asq/index.htm

O objetivo é a Jane fazer uma apresentação sobre como o ASQ se insere no universo de instrumentos que avaliam o desenvolvimento infantil, suas vantagens e desvantagens.

Gostaríamos muito de contar com a sua presença nesta reunião. Infelizmente, não poderemos arcar com despesas de passagem e diárias. Pedimos, por gentileza, confirmar a presença por e-mail (rosane.mendonca@presidencia.gov.br) ou por telefone - 061-3411-4664 ou 4696.
Endereço:
Secretaria de Assuntos Estratégicos,
Esplanada dos Ministérios, Bloco "O", 8º andar, sala de reuniões 3, (sala da ferradura).
Brasília, DF

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Abaixo-assinado contra avaliação na educação infantil

Essa ação contra a política da Secretaria de Assuntos Estratégicos de implantar a avaliação das crianças da educação infantil, por meio do questionário ASQ-3 (já falei sobre isso aqui no EntreTextos), nós podemos realizar. Vejam só...

O Movimento Interfóruns de Educação Infantil do Brasil lançou um abaixo-assinado contra a "adoção de políticas públicas de avaliação em larga escala do desenvolvimento da criança de 0 até 6 anos de idade, por meio de questionários (como o ASQ-3), testes, provas e quaisquer outros instrumentos do gênero, seja em âmbito nacional, estadual ou municipal..."

Vamos lá gente, é só assinar a petição pública... Clique aqui.

Um lembrete bem importante. Depois você receberá um e-mail do site PeticaoPublica pedindo que você confirme a sua adesão ao abaixo-assinado. O meu estava na caixa Spam... Então, para completarmos  nossa ação contra essa  política errada para a educação infantil precisamos verificar o recebimento desse e-mail... e confirmar nossa assinatura virtual.

Caro(a) Maria Inês Barreto Netto,

Este email é enviado para si do site PeticaoPublica.com.br para confirmar sua assinatura como «Maria Inês Barreto Netto» no abaixo-assinado online:

«"Repúdio do Mieib à avaliação em larga escala do desenvolvimento de crianças de 0 a 6 anos"»

Sua assinatura no abaixo-assinado necessita de ser confirmada para garantir a autenticidade dos dados.

http://www.peticaopublica.com.br/Confirmacao.aspx?id=16961,350,7620

Clique no link acima para confirmar sua assinatura (ou copie o endereço para uma nova janela do seu browser).
Cumprimentos,
PeticaoPublica.com.br
Resistir e lutar é preciso!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Encontro de Estudos Bakhtinianos

O pessoal de Juiz de Fora compartilhou  um vídeo sobre o I EEBA...

terça-feira, 22 de novembro de 2011

domingo, 20 de novembro de 2011

Na Era dos Transtornos...


Na UERJ, quarta-feira...


Programação

9h - Abertura e projeção do vídeo “Stop DSM”

10h às 12h30 - Medicalização e Judicialização: movimentos de controle e aprisionamento da vida
Palestrantes: Giovanna Marafon (psicóloga - CRP 05/30781 - e conselheira do CRPRJ); Helena Rego Monteiro (psicóloga - CRP 05/24180 - e conselheira do CRPRJ) e Kátia Aguiar (psicóloga - CRP 05/5549 - e professora da UFF).
• Projeção do Vídeo “ Medicalização da Vida Escolar” de Helena Rego Monteiro

13h às 14h - Almoço

14h às 15h30 - Práticas substitutivas à medicalização
Palestrantes: Gabriela Salomão (psicóloga - CRP 05/28372 - e orientadora técnica do Proinape - SME/RJ); Claudia Perrota (fonoaudióloga da Associação Palavra Criativa); Jorge Luis Ferreira (psicólogo - CRP 05/11050 - da rede municipal de Itaguaí e professor da Faetec); Israel Côrtes Santos (psicólogo - CRP 05/39417 - da equipe de Psicologia Escolar da Secretaria Municipal de Educação de Itaguaí/ RJ).

15h30 às 18h - Medicalização do Comportamento e da Aprendizagem: O obscurantismo reinventado
Palestrante: Maria Aparecida Affonso Moysés (médica pediatra, Unicamp).

sábado, 19 de novembro de 2011

Arte na educação infantil

Estou encantada com os trabalhos de João Borges! O que ele faz com o barro, ave maria!!! Tem vida no barro, gente!!!

Ah, eu fico pensando em como isso renderia com as crianças da educação infantil!!!

azanga (1).jpgcarrinhodemadeira.jpgcecerecece.jpg


Visitem o site dele e fiquem maravilhados e maravilhadas!
Basta clicar em uma das imagens acima.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Os monstros e a avaliação na educação infantil

O Fórum Paulista de Educação Infantil discutiu em sua assembléia e tomou decisões a respeito do "verdadeiro tsunami que invade os territórios da educação das crianças pequenas, a avaliação em larga escala do desempenho das crianças de 0 até 6 anos de idade, por meio de testes, questionários, provas e quaisquer outros instrumentos, que não respeitem as crianças como produtoras de culturas infantis".

Quer ler o indignado manifesto e se apropriar de importantes argumentos para essa luta? É só clicar em mais informações...

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Psicólogos repudiam avaliação na educação infantil

8º Congresso Brasileiro de Psicologia do DesenvolvimentoProfissionais que trabalham com a infância brasileira que estavam no VIII Congresso Brasileiro de Psicologia do Desenvolvimento, que ocorreu em Brasília, também se posicionaram contra as ideias da Secretaria de Assuntos Estratégicos a respeito da avaliação das crianças da educação infantil.

A moção de repúdio tem um texto pequeno, pois é direta nos argumentos. Caso queira lê-la, clique em mais informações...

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Avaliação quantitativa do desenvolvimento infantil


Mais alguns trechos do documento do Fórum Permanente de Educação Infantil do Estado do Rio de Janeiro - FPEI/RJ - sobre a avaliação das crianças da educação infantil. São informações preciosas para nos posicionarmos contra a entrada (ou a volta?) da concepção economicista e desenvolvimentista no nosso trabalho.

"A avaliação proposta pelo instrumento ASQ-3 dá ênfase a aspectos “quantificáveis” do que concebem como “desenvolvimento infantil”. Partem de uma determinada leitura teórica deste desenvolvimento, e do pressuposto de que há um “desenvolvimento esperado” para todas as crianças."

"Ao educador, alienado da sua capacidade crítica e da sua autoria como sujeito do processo avaliativo, cabe o preenchimento automático das “respostas” dadas pelas crianças, para que os “especialistas e técnicos” da Secretaria de Educação possam aferir os “resultados”. Aqui, poderíamos pensar na velha apartação positivista entre os que “pensam” e os que trabalham; apartação que conserva o poder nas mãos dos que se apresentam como detentores do saber e, com isto, permite que as relações desiguais de educação sejam reproduzidas naturalizando-se a ideia de que há os mais “aptos” e os “diferentes”."

"Em relação à aplicação do questionário as críticas do FPEI/RJ estão organizadas em dois eixos: a forma como tal instrumento foi imposto às creches e pré-escolas e o seu conteúdo."

"Com relação à forma, a Secretaria e as Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) ofereceram uma “capacitação” para os dirigentes e coordenadores das creches em que distribuíram um “manual de uso” com as orientações sobre o preenchimento do ASQ-3 e instruções sobre como responder “sim”, “não” e “às vezes”.  Estas respostas deveriam ser dadas, conforme o quesito avaliado, pela quantidade de respostas “positivas” dadas pelas crianças; em alguns, a criança deveria responder pelo menos duas vezes, em outras três, e assim por diante."

"Outra orientação recebida é que somente seriam toleráveis duas respostas em branco por bloco e que o ideal seria não deixar nenhuma pergunta sem resposta, ou melhor, que não se deixasse de aferir os “resultados”."

"Para dar uma ideia, para os que ainda não conhecem o conteúdo de tal questionário, reproduzimos algumas questões:"

domingo, 13 de novembro de 2011

Fórum de Educação Infantil do Rio e a avaliação

O Fórum Permanente de Educação Infantil do Estado do Rio de Janeiro - FPEI/RJ - divulgou um documento sobre o ASQ-3, o programa de avaliação das crianças de dois meses a cinco anos e meio de idade em todas da rede de educação infantil pública e conveniada da cidade do Rio de Janeiro.

Eis alguns trechos do documento:

"De acordo com o Manual de uso do ASQ-3: guia rápido para aplicação do ASQ-3 (Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro; Iets – Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade, 2010), o ASQ-3 “[...] foi desenvolvido em 1997 nos Estados Unidos. Desde então, vem sendo utilizado em diversos países, como os Estados Unidos, França, Espanha, Dinamarca, Noruega, Quênia, Zâmbia, China e Coréia. Na América do Sul, Chile e Equador validaram o instrumento para avaliar o desenvolvimento de suas crianças” (p. 6). Segundo o Manual, o ASQ-3 é composto por 21 questionários distintos, um para cada intervalo de idade. Desses questionários, 19 são destinados às crianças com menos de quatro anos e apenas dois são voltados para as crianças com idade entre quatro e cinco anos e meio. Todos os questionários têm a mesma estrutura: são formados por cinco blocos, um para cada domínio avaliado do desenvolvimento: comunicação, coordenação motora ampla, coordenação motora final, resolução de problemas e pessoal/social. Cada bloco por sua vez é composto por seis perguntas, totalizando 30 perguntas em um questionário. Existe ainda um sexto bloco o qual investiga “informações adicionais” sobre a criança. O objetivo é fazer a triagem de crianças que deveriam ser encaminhadas para avaliação mais cuidadosa seja pela possibilidade de diagnóstico de problemas crônicos de saúde ou por necessidades especiais."

"Diante da profusão de considerações geradas no processo de discussão da Rede Nacional Primeira Infância, Maria Thereza Oliva Marcilio (Avante - Educação e Mobilização Social; Coordenadora da Secretaria Executiva da RNPI) nos traz algumas questões que podem qualificar o debate: qual a concepção de desenvolvimento humano que está guiando a metodologia de avaliar capacidades da criança? Como estabelecer indicadores de desenvolvimento infantil sem considerar contextos de iniquidade? Como considerar padrão um contexto cultural absolutamente diverso, EUA x Brasil? Como conciliar o conceito de diversidade e o de inclusão, expressos em diretrizes e normas de educação no país, com a ideia de avaliar habilidades e estabelecer indicadores de desenvolvimento padrão?"

Resistir e lutar é preciso!

domingo, 6 de novembro de 2011

Geraldi, Bakhtin e os objetos de aprendizagem

O professor João Wanderley Geraldi, junto com Sônia Kramer, abriu os trabalhos do I EEBA - I Encontro de Estudos Bakhtinianos na Universidade Federal de Juiz de Fora. (Que, aliás, tem uma cidade universitária cada vez mais linda! Eu a conheci há muitos, muitos anos atrás e tudo por lá estava um primor, muito agradável!)

Sempre aprendo com o professor Geraldi em todas as vezes que o ouvi expor sobre um assunto. Tsss, tsss... Quem não aprende?! Voltando ao assunto principal...

Pensar a educação pelos objetos de aprendizagem muda a organização da escola e do trabalho educativo e pedagógico que nela realizamos. Hoje, o objeto de ensino - o conhecimento - rege o sistema de educação (também, sintomaticamente, chamado de sistema de ensino).

Bem, logo me lembrei da Escola da Ponte, de Reggio Emilia...

A Maria Teresa de Assunção Freitas disse que o texto com a fala dele e da Sonia Kramer será publicado em livro. Bem, já estamos na espera, certo?

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Mieib e política curricular

Veja o posicionamento do Mieib - Movimento Interforuns de Educação Infantil no Brasil em relação à política curricular da educação básica orientadora das expectativas de aprendizagem e desenvolvimento nos diferentes ciclos de formação/níveis de ensino até os 17 anos... Clique aqui.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Textos de formação e prática

Eis aí uma ótima publicação para o pessoal da educação infantil.

Prefácio, Vera M. R. de Vasconcellos
Introdução, Equipe Creche UFF
Uma caracterização da creche UFF, Bernadete Mourão
A brincadeira como eixo do trabalho pedagógico, Angela Meyer Borba Rotina, Bernadete Mourão
Normas e combinados, Maria Vittoria de C. Pardal
O arranjo espacial na Creche UFF: Novos cantinhos, antigos aconchegos, Maria Vittoria de Carvalho Pardal e Taísa Vliese de Lemos
"Projetos" ou Trabalho por Projetos ou Pedagogia de Projetos, Dominique Colinvaux;
Registro, Mônica Bezerra de Menezes Picanço
Relação creche-família, Deise Gonçalves Nunes

Publicado pela Editora da Universidade Federal Fluminense. Compre aqui.

domingo, 23 de outubro de 2011

Angústia na educação infantil: alquimistas do mal estão chegando

Os economistas estão chegando! Ops... Já chegaram na educação infantil também!

Eles moram bem longe da realidade das nossas crianças...

São pacientes, assíduos e perseverantes executantes das regras do capital...

Trazem consigo cadinhos, vasos de vidro e potes de louça que nos reduzem - profissionais, crianças e suas famílias - a peças no soerguimento do mercado...

Os economistas chegaram!

Resistir e lutar é preciso!!!

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Repúdio à avaliação do desempenho

Proponente: GT 07 da Anped

O GT 07 - Educação da criança de 0 a 6 anos manifesta seu REPÚDIO à adoção de políticas públicas em âmbito nacional, estadual e municipal de avaliação em larga escala do desempenho da criança de 0 a 6 anos de idade, por meio de questionários, testes, provas e quaisquer outros instrumentos, uma vez que tais procedimentos desconsideram a concepção de Educação Infantil e de avaliação presente na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei n. 9394/96), nas Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil (Resolução CNE/CEB n. 05 de dezembro de 2009) e nos Indicadores da Qualidade na Educação Infantil (2009).

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

ASQ-3 na educação infantil

O questionário de avaliação das crianças da educação infantil usado no município do Rio de Janeiro está à venda no site http://agesandstages.com/. O Amazon também vende.
Não posso deixar de me perguntar... Será que a prefeitura do Rio comprou on-line?!

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Questionário americano na educação infantil

Parece que a  Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (Ministro Moreira Franco,  titular da pasta) está criando um sistema de avaliação para a educação infantil. Vejam só!!!

Agora que os economistas e empresários resolveram que a educação da pequena infância é "importante" e que deve ter a "atenção deles", possivelmente, um questionário de avaliação das crianças, importado dos EUA, e já implantado no município do Rio de Janeiro, será "exportado" para todo o Brasil.

O economista do Ipea e secretário de Ações Estratégicas da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), Ricardo Paes de Barros, que trabalhava no Rio, faz parte do grupo que está elaborando esse sistema de avaliação da educação infantil no governo federal.

No município do Rio, com essa "avaliação", apresentou-se, por exemplo, um ranking das creches com melhores resultados. Pasmem!

Os itens desse "questionário de avaliação" são de arrepiar!!!

 


Esse "programa de avaliação" é recomendado pela Academia Americana de Neurologia e pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos, Administração de Crianças e Famílias dos EUA. (???!!!)

Onde nós vamos parar, heim?!

sábado, 17 de setembro de 2011

Planejamento semanal e projeto de trabalho


Como eu faço o planejamento semanal trabalhando com projeto? Foi mais ou menos assim que me perguntaram. É uma pergunta muito boa, não? Estou suspeitando que ela seja bem pertinente à grande parte do contexto pedagógico nas escolas de educação infantil, em geral.

Bem, estou entendendo - corrijam-me, por favor, se eu estiver enganada - que hoje ainda se espera da professora que ela distribua previamente, por cada dia da semana, as atividades que ela vai realizar com as crianças. Bem, desse modo, o planejamento prevê tudo que vai ocorrer em cada momento, uma atividade após a outra, numa sequência ordenada. Mas, como o cotidiano da escola não é assim tão previsível e controlável, nós aprendemos que o planejamento também é flexível. Então, se uma das atividades planejadas não estiver atendendo aos interesses infantis do momento, a professora mudaria a atividade, de modo a atender a esse interesse.

Mas como fazer isso ao, supostamente, trabalhar com projetos? Digo supostamente, porque num trabalho com projetos, penso eu, nem caberia uma pergunta dessa com essa significação.

Penso que "planejar" um projeto requer muito mais um levantamento das possibilidades de trabalho e de material do que propriamente preparar e distribuir as atividades pelos dias da semana, já que as crianças têm uma papel bem ativo na proposição de problemas e nos modos de resolvê-los. Pra mim, o que ganha especial relevância no trabalho da professora e do professor é o registro diário, com relatos dos trabalhos e as observações realizadas. Por meio desse registro, a pedagogia da escuta da criança tem enormes possibilidades de ser desenvolvida, permitindo ao docente também propor problemas e modos de resolvê-los e ter ideias sobre as relações com os conhecimentos.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Bakhtin em Juiz de Fora


Em novembro ocorrerá o Encontro de Estudos Bakhtinianos, em Juiz de Fora. Depois de muitos, muitos anos voltarei a esta terra que tem tanto a ver comigo - tenho muitos primos por lá. Estou doida para viver esse formato de estudos que tem tudo a ver com essa filosofia da linguagem, não acha?

Se você quiser ver a programação, clique na imagem...

domingo, 4 de setembro de 2011

Frans Krajcberg em Niterói

Num curso sobre projetos de trabalho, baseado em Paulo Freire, Pedro Demo e Fernando Hernández e Montserrat Ventura, que tive que organizar e realizar recentemente, acabei falando em Frans Krajcberg.

Ontem, como numa dessas sincronicidades da vida, vi o anúncio da exposição dele aqui em Niterói, no MAC, até 23 de outubro. É imperdível, né?

sábado, 27 de agosto de 2011

Mais cultura na escola


O Cadernos de Infância publicou e eu compartilho a dica... No sabercultural temos uma grande riqueza de material para o nosso trabalho docente com a cultura. O acervo de arte é enorme e muito variado, tem links diretos para museus e bibliotecas, tem muita música, tem arquivos de apresentação em power point em português... Tem muito material para que nós possamos conhecer e levar outras pessoas a conhecerem e usufruírem desses bens culturais maravilhosos!

sábado, 13 de agosto de 2011

Ou de... faz escuro, mas eu canto...


O blog da Érica me lembrou de uma de minhas inspirações... E de muita gente... Ainda que "estejamos num meio pós-estruturalista" (?!)...

A luz que me abriu os olhos
para a dor dos deserdados
e os feridos de injustiça,
não me permite fechá-los
nunca mais, enquanto viva.
Mesmo que de asco ou fadiga
me disponha a não ver mais,
ainda que o medo costure
os meus olhos, já não posso
deixar de ver: a verdade
me tocou, com sua lâmina
de amor, o centro do ser.
Não se trata de escolher
entre cegueira e traição.
Mas entre ver e fazer
de conta que nada vi
ou dizer da dor que vejo
para ajudá-la a ter fim,
já faz tempo que escolhi.

Thiago de Mello
Rio de Janeiro, 1981
Publicado no livro Mormaço da Floresta.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Utopia, quer dizer, inédito-viável...

"É preciso sonhar, mas com a condição de crer em nosso sonho, de observar com atenção a vida real, de confrontar a observação com nosso sonho, de realizar escrupulosamente nossas fantasias. Sonhos, acredite neles."
V. I. Lênin

sábado, 6 de agosto de 2011

Miró, Dali, Goya e Picasso em Vitória

Absolutamente surpreendente! Miró em Vitória! Um desvio no caminho e dei de cara com os Mestres Espanhóis no Palácio Anchieta... Miró, Dali, Goya e Picasso!!!!!!!!!!!!! Emocionante, muito emocionante pra mim...




quinta-feira, 23 de junho de 2011

Cultura on line


Há um site sobre arte que é muitíssimo interessante! Nele encontramos, senão de tudo, quase tudo sobre arte. Farei uma pequena lista em ordem alfabética - não é a ordem em que aparecem no site - de alguns itens lá tratados com informações e imagens:
  • Arte Naïf;
  • Breve histórias das artes plásticas;
  • Conceitos básicos;
  • Elementos visuais da linguagem plástica;
  • Escultura no mundo e no Brasil;
  • Índice remissivo - nomes dos artistas em ordem alfabética;
  • Pintores no Brasil;
  • Técnicas de pintura;
  • Uma história da pintura brasileira;
  • Uma história da pintura no mundo - no site sob o título de Pintura Universal;
  • E mais...
O Pitoresco: a arte dos grandes mestres está aqui.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Monet, Van Gogh, Rembrandt e muito mais

O Cadernos de Infância deu a dica. É um site de venda de reproduções de pinturas, mas não estou fazendo propaganda, não. É que por essa característica do site a gente tem acesso a "mais de 5.000 artistas e 100 mil pinturas", o que os tornam "o maior museu de Web online do mundo", como eles mesmos dizem. É um "banco de dados", digamos assim.

Então, para nosso deleite e/ou para consultar material de trabalho visitem MyStudios.com Gallery.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Ex-E.T.: As crianças e a sociedade


Foi o Geografia da Infância quem me apresentou a este fofíssimo E.T. Ele é personagem de um vídeo extremamente interessante criado por quatro estudantes da Ecole Supérieure des Métiers Artístiques. Com ele podemos pensar a respeito da nossa prática pedagógica nas salas - com as crianças - e com as professoras, também. Podemos pensar, por exemplo,  nas cerca de vinte crianças que, anualmente, "passam" pela vida profissional de uma professora e nos perguntar como, com este meu saber docente, eu contribuo para a constituição de crianças "conformadas" num ofício de aluno, camuflando e/ou expurgando a criação, o pensamento inquiridor, a reflexão... Como meu saber-fazer docente inclui o pensamento rebelde, inconformado, questionador, que ousa "sair da linha de produção"?
Clique aqui e veja o vídeo no YouTube.

sábado, 18 de junho de 2011

Museus virtuais brasileiros

O Google tem o Project Art - projeto de visitação virtual de museus e galerias - e em terras tupiniquins temos o Era Virtual Museus.


Por ele tem-se acesso ao interior da casa de Cora Coralina e suas histórias...

À casa onde nasceu Guimarães Rosa, em Cordisburgo, e a  uma visita guiada pelo Grupo de Contadores de Estórias Miguilim...

   
Foto publicada no
PinturaBrasileira.com

   Pode-se ir a Ouro Preto e conhecer Alberto da Veiga
   Guignard...

   É só clicar na imagem abaixo e começar a visitar...

sábado, 11 de junho de 2011

Humanidade desumanizada

Nada é impossível de mudar
Bertold Brecht

Desconfiai do mais trivial, na aparência singela.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural,
pois em tempo de desordem sangrenta,
de confusão organizada,
de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada,
nada deve parecer natural
nada deve parecer impossível de mudar.


É preciso sonhar, mas com a condição de crer em nosso sonho, de observar com atenção a vida real, de confrontar a observação com nosso sonho, de realizar escrupulosamente nossas fantasias. Sonhos, acredite neles. Tal como qualquer mudança na vida de qualquer indivíduo lhe ensina, lhe faz viver e sentir muitas coisas, assim a revolução dá a todo o povo, em pouco tempo, as lições mais profundas e preciosas...
V. I. Lênin

segunda-feira, 6 de junho de 2011

sábado, 21 de maio de 2011

Estou... Estamos nas palavras da Amanda

Amanda Gurgel faz um retrato da educação no Rio Grande do Norte que, na essência, é um retrato da educação no Brasil. E, obviamente, esse retrato feito por nós, professores e professoras, _ penso que nos sentimos constituintes de suas palavras _ receberia contestações e ataques, ainda que sutis e velados, da classe dominante e de suas instituições. Estamos lutando há muito, muito tempo e tais ações também estão incluídas no cenário da educação nacional.

YouTube, redes sociais, listas de discussão, blogs e microblogs estão sendo ferramentas para a divulgação tanto do filme como das análises e opiniões sobre o fato. Referir-se ao fato como desabafo da professora, atitude heróica, celebridade da hora, notoriedade abrindo caminho para candidatura política... é, no mínimo, desqualificar as questões das quais a professora foi porta-voz, é desqualificar a nós mesmos, professoras e professores, que vivemos o que ela denuncia!

Essa desqualificação do discurso pelas instituições da classe dominante e seus representantes já era esperada, mas é de causar muita tristeza e indignação quando ela parte de membros da nossa própria categoria (ainda que saibamos que a infiltração ideológica é um instrumento poderosos e velado). A própria Amanda Gurgel retoma o curso da discussão quando em entrevistas tentam "mudar o rumo da prosa" para as qualificações individuais do fato. Não, a discussão é sobre políticas públicas para a educação no Brasil!


segunda-feira, 9 de maio de 2011

A maior flor do mundo


Bela, carregada de simbolismos e mensagens para adultos e crianças, a história de Saramago ganhou trilha sonora de Emilio Aragón e Juan Pablo Etcheverry criou a animação em plasticina tradicional 2D.

Pelo blog do filme podemos conhecer alguns relatos de trabalhos realizados em escolas e outras tantas coisas... O blog também é muito inspirador! Ele está aqui.

sábado, 7 de maio de 2011

Arte-Educação

Ana Mae Barbosa parece ser uma daquelas pessoas que estão sempre lutando e acreditando na educação de todos, com todos e para todos.

Esse chamamento dela é contundente e inspirador: “precisamos levar a arte que hoje está circunscrita a um mundo socialmente limitado a se expandir, tornando-se patrimônio da maioria e elevando o nível de qualidade de vida da população”.

Como tenho feito leituras sobre arte-educação, encontrei este vídeo dela na rede. É de uma palestra no encontro presencial de encerramento da edição 2006 do curso de pós-graduação lato sensu Arteduca: Arte, Educação e Tecnologias Contemporâneas, realizado em 12/07/2007, na Universidade de Brasília.


sexta-feira, 15 de abril de 2011

Letra cursiva e a leitura-escrita na educação infantil

Mesmo com tanta divulgação dos conhecimentos elaborados por Bakhtin e Vygotsky sobre linguagem e escrita e outras tantas construções teóricas sobre leitura há muita insistência, por parte dos professores, em usar a letra cursiva na educação infantil.

Apoiando-me em Vygotsky, na essência do processo de ler-escrever está a relação pensamento-linguagem. Então, a escrita na sua forma, no seu desenho, é produto de um processo de experimentação, vivência, conhecimento da criança sobre as coisas que estão no mundo. Então, escrever é escrever o que se pensa, sente, deseja, inventa, comunica, cria... com os diferentes gêneros do discurso e tipos de texto.

Será que devemos simplificar estas complexas relações no ensino do desenho das letras de "mãos dadas"?

quinta-feira, 14 de abril de 2011

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Educadores

Antonio Gramsci, Paulo Freire, Bogdan Suchodolski, Célestin Freinet, Lev Semionovich, entre outros pensadores, fazem parte da Coleção Educadores - 62 títulos completos - que o MEC torna acessível por meio do portal Domínio Público.
Entre por aqui e confira.

terça-feira, 12 de abril de 2011

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Antonio Poteiro: artista naïf

http://www.antoniopoteiro.com/
Antonio faz arte! Não estudou em escola de arte, mas faz arte. Vai pensando a vida e "se esvazia" no barro, com as cores, tintas e telas, narrando histórias...

Antonio Batista de Souza, que nasceu na Aldeia de Santa Cristina da Pousa, em Braga, Portugal, chegou ao Brasil ainda criança. Ele fez exposições, documentários com ele foram realizados, ensinou cerâmica nas Feiras Internacionais de Hannover e Düsseldorf, recebeu prêmios e homenagens... Artista de nossa terra, faleceu no ano passado.

Veja o que ele diz sobre ele e o seu processo criativo...

sábado, 9 de abril de 2011

Fazer referências

O Facilis é um site gerador de referências bibliográficas conforme os padrões da ABNT (25 tipos de documentos).
Informamos os dados da obra, clicamos no botão gerar referência e... Pronto!

Essa ferramenta gratuita foi o trabalho de conclusão de curso de Leilane Ferreira Ribeiro, orientada pelo professor Fabrício de Souza Pinto, em 2008 (Ciência da Computação, Universidade do Sudoeste da Bahia).

Belíssimo trabalho, Leilane!

Clique na imagem e comece a usar a ferramenta.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Muitos documentários...

Navegando pelo facebook encontrei a Televisión América Latina. Vejam o que eles dizem de si mesmos:

A TAL é uma rede de intercâmbio e divulgação da produção audiovisual dos 20 países da América Latina. Uma instituição sem fins lucrativos, ela reúne hoje centenas de associados (link para associados) de todo a região. São canais públicos de TV, instituições culturais e educativas e produtores independentes, que compartilham seus programas – documentários, séries e curta-metragens – com o intermédio da TAL. Tudo isso de forma colaborativa e solidária. 
Além de uma ponte entre estes parceiros, a TAL é uma web TV, um banco de conteúdo audiovisual e uma produtora de vídeo. Tudo isso serve de suporte para o trabalho de aproximação entre os povos latino-americanos a que a TAL se propõe. 

Eles têm filmes sobre arte, culinária, educação, história...

domingo, 3 de abril de 2011

Somos palavras...

O professor Jaume também tem um blog... Um blog, como ele mesmo diz, para "o diálogo e o encontro", para "compartilhar palavras, que é uma forma de compartilhar experiências de vida".
E com um nome ma-ra-vilhoso, bem ao gosto bakhtiniano...
Las palabras nos hacen (Sujetos, Procesos, Contextos)

sábado, 2 de abril de 2011

Competências na educação

Foto que ilustra a matéria no site
Conheci o prof. Jaume Martinez Bonafé recentemente e achei muito interessantes as suas ideias sobre currículo. Sua praxis está muito apoiada em Paulo Freire também...
E, na minha leitura, em Gramsci também...

Aqui tem uma pequena matéria em que ele fala a respeito do enfoque por competências na educação. Penso que vale pena dar uma chegadinha lá...

quarta-feira, 9 de março de 2011

Cultura popular, arte e letramento: currículo na educação infantil

Na proposição de trabalho com a cultura popular na educação infantil, na perspectiva do letramento - como fiz em posts anteriores -, decidir a respeito de tema ou conteúdo de um projeto de trabalho sobre essa cultura implica em que se tenha clareza a respeito dessa estratégia de ação educativa e formadora. Ou seja, esse projeto de cultura - como era chamado na escola - é a materialização de um currículo na educação infantil que, além de integrar a comunidade escolar - crianças, funcionários da escola e famílias das crianças -, atua na possibilidade de encaminhar uma discussão sobre as relações entre a vida desses sujeitos da escola, os grupos e as classes sociais e as instituições de uma sociedade letrada pautada pelas questões econômicas, políticas e sociais. Materialização de um currículo que encaminha uma investigação-ação participante desses sujeitos nas práticas culturais da sociedade na qual se faz sujeito enquanto tem uma atuação em tais práticas culturais.

Uma pergunta norteadora (ou suleadora, como diria Paulo Freire), então, do processo de decisão seria: qual o problema que, discutido pela comunidade escolar, poderia ser meio para que seus membros constituintes se reconhecessem como produtores e produtos-sujeitos de cultura e, portanto, de conhecimento, atuando na discussão e formação de suas subjetividades?

Nessa perspectiva foi que trabalhamos com Portinari, Arte Naïf, Chiquinha Gonzaga... E não outros temas/problemas que muitas vezes encontramos na educação infantil sob a pretensa ideia de trabalhar com a cultura.

terça-feira, 8 de março de 2011

Somos Marias...

Somos professoras, somos mulheres, somos Marias todos os dias do ano! E possuímos a estranha mania de crer na vida!


terça-feira, 1 de março de 2011

Banalização da educação infantil

As entidades que lutam a favor da educação infantil no Brasil estão solicitando que nos posicionemos contra o Projeto de Lei 75/2011, que estimula a criação de creches domiciliares para crianças de até três anos atendidas por mães crecheiras, que passariam por um curso de formação de 20 horas (mínimo).

O abaixo-assinado on line está aqui.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Que tal apreciar um Van Gogh agora?

O Google passou a levar a gente para dentro dos museus... para fazer uma visitinha. Bem, visitinha, não. A gente esquece do tempo quando está num museu apreciando essas maravilhas da nossa cultura letrada.
O serviço é tão fantástico que, além de virtualmente entrarmos nas salas de exposição dos museus, podemos ver as pinceladas dos artistas. Eles têm vídeo dos bastidores da criação do projeto, que é incrível, dos museus...
A gente pode ir montando nossa própria coleção virtual...

Detalhe ampliado de O quarto, de Vincent van Gogh

Os museus, as galerias e obras estão aqui. Eles também têm um canal próprio no You Tube.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Currículo na Educação Infantil

Começarei a estudar com mais propriedade a respeito de currículo na educação infantil. Mas uma questão sempre passa pela minha cabeça quando tenho que lidar com esse tema... Ainda não vi uma proposta curricular brasileira para a EI que não estivesse fundada na organização disciplinar científica escolarizada, ou seja, que não estivesse ancorada na divisão que a escola faz das ciências... Matemática, Português, Ciências, Artes, Sociologia... (Se alguém conhecer, por favor, mande pra mim!!!!!)

Entre os documentos preliminares referentes às novas Orientações Curriculares da Educação Infantil, aquele que trata da relação entre as crianças e o conhecimento matemático, por exemplo, está nitidamente ancorado nesta concepção, em grande contradição com as próprias Diretrizes Nacionais e com todo o trabalho feito de preparação das Diretrizes.

Assim, a concepção de educação infantil fica excessivamente escolarizada, principalmente quando a gente olha para os trabalhos inspirados em Reggio Emilia, por exemplo.

Alguns avanços propostos nos trabalhos de preparação das Diretrizes Nacionais podem ser perdidos se essas Orientações Curriculares - os tais documentos preliminares - não materializarem uma outra concepção de Educação Infantil.